3 de novembro de 2008

O assalto (versão abreviada)

Tinha um texto enorme, pronto a ser usado como justificativo da parvoice que fiz este fim-de-semana. Acontece que Deus, no momento da concepção - oh Deus tu que tudo sabes, tudo podes e tudo etc., não me lixes a vida, não? - esqueceu-se - foi esquecimento, bem sei - de garantir que a minha existência seria pautada de uma grande elevação intelectual. Assim, apaguei o que escrevi e o blogger não tem undo.
Resumindo: Roubaram-me a mala gay com que costumava andar e a culpa foi minha que a deixei onde não era suposto.

É isto. Obrigado.

2 comentários:

Leididi disse...

Pensei que gay era a com que andavas agora.ahahaahahah

andorinhaavoaavoa disse...

Pois... não era suposto. Supostamente, e nunca supondo estar em segurança, nunca devias ter deixado a tua malinha abandonada!! Realmente!
É o que dá não sair ctg e levar a minha mala hetero!!