25 de maio de 2011

Contradições

Sou inconstante e temperamental. Nada em mim é eterno e nada em mim resiste. O que hoje satisfaz, amanhã sabe a pouco. O que neste instante é bom, daqui a pouco será mediocre. 

Sou uma permanente incógnita. Desconfiado, desatento. Alerta, distante. Observador, abstraído. No detalhe, insisto ou desisto.

Os lugares maravilham-me ou entediam-me, as pessoas encantam-me ou saturam-me, as palavras  estimulam-me ou cansam-me. Mudo de casa, de emprego, de cidade e de país. Barba curta, barba mais comprida, sem barba. Cabelo assim, cabelo diferente. T-shirt, camisa. Calças, calções. Sapatos, ténis, chinelos.

Agora fala comigo, agora fica calado. Agora tudo bem? Agora merda para ti. Estou presente e ausente. Disponível e sem paciência. Começo e não acabo.

Sou democrata e ditador. Podes pensar como quiseres, desde que penses como eu. E já agora, penso à esquerda e à direita.

Povoam-me o imaginário figuras de todos os tamanhos. Tenho com elas diálogos imensos. Isolo-me na minha fantasia e confudo-me entre a multidão. 

Percebo-me muito bem e não me compreendo de todo. Tenho a certeza, hum, nem por isso. Pergunto, respondo. Afirmo, desminto. Prometo, não cumpro. Cumprimento, despeço-me.

Só sou constante na inconstância, convicto na dúvida e sempre no nada.

Sim, o blogue mudou. Voltou a mudar.

3 comentários:

Irina A. disse...

Esta pessoa também sou eu, não te sintas só :)

Antígona disse...

Mas está muito bonito :)

gralha disse...

Somos muitos. Que volte a vontade de escrever, que nós apreciamos :)