30 de dezembro de 2008

Durante a minha ausência

Estive a um passo de ir embora. Estive de malas feitas, decidido a regressar a Portugal. Interessam poucos os motivos, interessa, isso sim, que acabei por ficar.

Frustrado, cansado, magoado e corrido imaginei-me de volta a casa (à de lá).

Acabei por ficar.

Fiquei pela terra, pelas pessoas, pelo cheiro, até pela poeira, pelos buracos na estrada, pelo engarrafamento, pelos vendedores no engarrafamento. Fiquei porque gosto de estar aqui. Porque o meu tempo não tem fim.

Fiquei porque me pediram para ficar. Fiquei porque me pediste para ficar.

2 comentários:

andorinhaavoaavoa disse...

Ainda bem que não foste! Ia sentir muito a tua falta! Sei que não ficaste porque eu pedi (lol), mas fico feliz por te ter ali ao lado...

Susana Rendall disse...

Também fico muito feliz por teres ficado. Aqui... comigo digo connosco a aguentar o stress do engarrafamento, a desordem instalada no trânsito, o calor infernal e as noitadas no MJ1 a beber até cair. Tu és um ser humano espectacular e todos temos o prazer de te ter aqui pertinho de nós e de fazer parte hoje da tua vida.
(Tu sabes quem é)