11 de agosto de 2009

O cheiro que o carro tem

Em Luanda costumo conduzir um destes (não era nele que seguia quando tive aquele pequeno "incidente"). Recebi o carro vindo de uma colega que entretanto abandonou a empresa - para regozijo de todos - e desde então sou forçado a lidar todos os dias com o mais insuportável dos cheiros. É difícil, impossível, descrever aqui o fedor que me consome as narinas nos primeiros minutos de uma qualquer viagem.

Já procurei ratos mortos e até pessoas. Não encontrei nada. Na volta, se o carro fosse limpo com mais primor a coisa resolvia-se. Acontece que eu não tenho culpa que a estação de serviço mais em conta seja um esgoto a céu aberto.

A solução mais efectiva que, entretanto, encontrei para o problema passa por gastar rios de kwanzas em ambientadores auto. O cheiro não sai, mas fica escondido por entre fragrâncias como "F1 extreme" ou "Mar e praia", este na versão peixinho azul a pendurar no espelho retrovisor.

4 comentários:

Antígona disse...

Usa um limpa vidros e passa-o nos vidros por dentro, no tablier e em tudo o que seja de plástico, pode ser que resulte.

andorinhaavoaavoa disse...

Cá para mim o morto está cortado e distribuído pelos forros das portas! Já confirmaste? LOL
Para regozijo de todos! Lindo!

B. disse...

O carro do meu pai tinha o mesmo problema e acabamos por descobrir que estava relacionado com o tipo de gasolina que gastava. É só uma dica :-)

katyla silva disse...

Sou Angolana e aqui existe sim uma estação de serviço, fica na rua Ndunduma no miramar...
Vai lá e põem o carro pra lavar, agora dizer que a única estação de serviço fica a céu aberto é muita injustiça!!!