11 de setembro de 2006

No 5º aniversário do 11 de Setembro... o que realmente deveria interessar


2973 - O número de vítimas dos atentados de 11/9, a quem as televisões dedicam exaustivas emissões especiais.

6 000 000 - O número de crianças que anulmente morrem de fome, a quem o silêncio presta exaustiva atenção.

E um pouco de vergonha na cara?

É que tanto 11 de Setembro já mete nojo.

7 comentários:

ledidi disse...

També, acho!Cum camandro, é que se eu soubesse que só tinham morrido 2 mil e tal pessoas, já tinha gritado alto e bom som para irem mas é todos fazer uma coisa que eu cá sei. É que foi o fim de semana todo a levar com esta merda, da-se.

::lobo:: disse...

E pergunto eu: O que é que o cú tem a ver com as calças?
A Al Qaeda alguma vez demonstrou preocupação com os 6.000.000 de crianças que morrem de fome?
Ou com a corrupção nos governos árabes?
Onde estão os terroristas africanos?
Falamos de coisas muito distintas, muito mesmo...

"Só" 2000 e tal pessoas?
Essas são prescindíveis?...
Vá-se lá perceber a merda de mundo em que vivemos...

Matvey disse...

Não é uma questão do cu ter que ver com as calças. Não tem.

Refiro-me apenas à atenção mediática que é prestada a cada um dos assuntos. A capacidade de mobilização que é usada para A e não para B, C, D, E...

As 3000 vítimas são tão relevantes como os 800 000 000 de desgraçados que continuam a passar fome, ou os milhares que continuam presos sem culpa formada, ou as centenas de mulheres que são mortas à pedrada ou sujeitas a deploráveis tradições seculares.

Mas porquê o excesso de atenção a um assunto e um claro 'deficit' aos restantes? O que é que coloca os atentados terroristas de 11 de Setembro na agenda mediática anual? Os 3000 mortos ou o facto de terem sido cometidos nos EUA? Se em vez de Nova Iorque os aviões tivessem rebentado contra edifícios em Maputo? A atenção / exaustão seria a mesma? Então os Moçambicanos são menos relevantes que os Norte-Americanos?

::lobo:: disse...

"Se em vez de Nova Iorque os aviões tivessem rebentado contra edifícios em Maputo? A atenção / exaustão seria a mesma? Então os Moçambicanos são menos relevantes que os Norte-Americanos?"

Mas que raio de retórica é esta?
Coloca um hipotético cenário (...Se em vez...), passa para uma questão válida (A atenção...) e logo de seguida partindo de uma suposição sem argumentos que o justifiquem responde à mesma...

Matvey, como jornalista já escreveu alguma peça sobre os temas em questão? Tem liberdade para fazê-lo? Poderia tê-lo feito ontem? Fê-lo?

Matvey disse...

Não só não escrevi, como sou mais um dos tais que falou, fala e falará do 11 de Setembro. Não sou mais do que o produto do mundo onde vivo e da profissão que escolhi.

Por isso, a pergunta que lanço: "E um pouco de vergonha na cara?" - é tão válida para outro, como para mim.

::lobo:: disse...

Vergonha por?
Eu não tenho vergonha por celebrar a memória de vítimas de um determinado terrorismo.
Eu não tenho vergonha de ser, não um produto, mas um elemento do mundo onde vivo. Não tenho.
Talvez, espero bem que não, que daqui a uns anos não tenhamos que deitar fora a vergonha e envergar a sobrevivência.

Um abraço e parabéns pelo blog, tomei a liberdade de linká-lo ao Do Caminhar.

Matvey disse...

Obrigado pelo link (que vou retribuir), pela leitura e pela opinião.