10 de outubro de 2007

Fundamentalismos

Tenho para mim, do mais profundo do meu coração, que depois de uma certa entrevista que fiz ontem, só vou conseguir voltar a sair à rua com protecção policial. Eu já sabia que a dada altura o ambiente ia aquecer, com direito ao insurgimento, do topo da ofensa auto-infligida.

Perguntar a alguém se assume a relação do grupo político que representa a um movimento de extremistas nazis, mesmo adivinhando-se a negação, com uma expressa e expressiva indignação, não tão bem disfarçada como a solenidade do momento impunha, dificilmente garante um bom resultado final.

São sombrios os caminhos do extremismo. Na modernidade, causa ou consequência, pegam-se em chavões do passado, recuperam-se conceitos, mais que ideologias, provavelmente desconhecidas. Os marxistas não leram Marx. Os nazis ouviram falar de Hitler primeiro no canal História, no zapping da Sic Radical para o Extreme Sports, e depois no blog de um qualquer purista de raça, que usa a rede para impestar cabeças mesquinhas de disparates maiores do que o seu ego, já de si devidamente estimulado ao melhor da punheta de espírito.

Não sei o que me incomoda mais: o que dizem ou a consciência de que acreditam mesmo naquilo. Partilham, linhas gerais, uma superioridade suposta, falando sempre com uma enorme assertividade, como se o mundo inteiro coubesse em duas ou três frases.

Os de direita acham que a moral foi comida por pretos, ciganos e brasileiros. Os de esquerda discordam: a moral existe e está com eles.

Não fora o facto de os seus fundamentalismos colidirem com o meu direito à escolha e de darem cabo da minha noção de tolerância e eu não precisaria de estar para aqui a argumentar. Há uma lógica de intransigência dogmática que deita por terra a partilha democrática, das gentes de ideias claras.

Indigno-me, barafusto e refilo, claro que sim.

2 comentários:

gralha disse...

Escrevi também um post sobre os fundamentalismos há uns tempos (já nem sei onde está), porque é coisa que sempre me fez confusão, sobretudo o sentimento de superioridade que acarreta...

Acho melhor começares a sair à rua com um daqueles óculos com nariz e bigode incorporados, pelo sim, pelo não :P

Tó do Samouco disse...

Só sou fundamentalista com a pornografia. Sigo todos os seus ideais.

Tó do Samouco

www.samoucoaorubro.blogspot.com