1 de setembro de 2008

A extensão

Viver em Angola, viver em África, implica ser-se capaz de abdicar de uma série de pequenos luxos a que estamos habituados, como ter transporte ali à mão (por enquanto, pelo menos). Não há transporte facilitado, nem fica tudo "ali ao lado". Demora-se duas horas a percorrer a cidade de uma ponta à outra, não porque seja grande, mas porque é confusa, caótica, se preferirem.

Ainda estranho estar dependente de um motorista para ir a qualquer lado. Ainda duvido que não seja normal sair depois do jantar para tomar café não longe de casa, mas hoje, ao fim de duas noites, acordei e já sabia onde estava.

Precisamos de extensões triplas. Missão razoável? Nem pensar! De facto, a simples intenção de ligar à corrente um candeeiro, longe da tomada, está sujeita à possibilidade de se arranjar, ou não, o dito cabo. Fez-se o pedido. Aguarda-se resposta.

Valha-nos ter o frigorifico cheio de comida. Isso e o calor, tão próprio. O ar, que se respira diferente. O cheiro, que se sente mais forte. A terra, que se apresenta mais vermelha.

5 comentários:

José Jorge Frade disse...

Se keres saber mais sobre a formidável terra que agora pisas, vai ao blogue "Bimbe" (http://bimbe.blogs.sapo.pt)

Boa estada (vai dar uma volta à tua cabeça)!

Zé Kahango

José Jorge Frade disse...

Se keres saber mais sobre a formidável terra que agora pisas, vai ao blogue "Bimbe" (http://bimbe.blogs.sapo.pt)

Boa estada (vai dar uma volta à tua cabeça)!

Zé Kahango

José Jorge Frade disse...

Se keres saber mais sobre a formidável terra que agora pisas, vai ao blogue "Bimbe" (http://bimbe.blogs.sapo.pt)

Boa estada (vai dar uma volta à tua cabeça)!

Zé Kahango

testaravida disse...

Estou a adorar ler os teus pequenos relatos da tua nova vida em Angola... Gosto das coisas que escolhes descrever e como falas delas :)

Que tudo te corra pelo melhor!

Beijo.

gralha disse...

Que bom que já aí estás :)
Espero que esteja a correr tudo bem.

bjs