22 de dezembro de 2011


Percebam: este blogue é volátil como eu. Nuns dias sim, noutros dias não, nos demais, os que sobram, talvez. Por isso vai e vem. É actualizado todos os dias, ou fica para aqui, moribundo, durante semanas seguidas.

Penso não me importar. Afinal, não assinei com ninguém um contrato de escrita criativa e não devo caracteres ao Blogger.

Tento ver as coisas de forma simples, nenhuma causa, zero efeito, mas depois desassossego-me. Passou um mês.

O mundo dos blogues tornou-se tal lugar estranho. Pelo menos parte dele, onde estão os da velha guarda. Muitos transformaram-se numa espécie de casas de alterne, entregues às marcas, aos passatempos, à publicidade dissimulada, como se todos nós fossemos estúpidos, não soubéssemos o que se está ali a passar.

De repente penso em acabar com isto. Estou noutros lugares, podemos continuar juntos. Arrependo-me. Deixo estar.

Será sempre assim, enquanto for. Por isso, a quem me enviou um e-mail, com tão bons argumentos, eis-me aqui. Aqui estarei. Mas só até deixar de estar.

Obrigado a quem insiste.


3 comentários:

Antígona disse...

Não faz mal que seja só de mês a mês, ou mesmo trimestral, semestral...anual...bom, anual preferia que não :) Mas não feches. Não deixes de escrever aqui porque como dizes, e muito bem, são poucs os que valem a pena e já virei costas à maior parte, sobram tão poucos e eu preciso de inspiração :) É isso que faz quem escreve bem - inspira-me. Não vás. Nunca.

Anónimo disse...

Li as tuas palavras que me pareceram minhas, e as da Antígona também. É assim. Não vamos parar, até porque, no fundo, no fundo, também gostamos de blogar e sempre vamos descobrindo ouvidos do outro lado.
Eileen

Jardineiro do Rei disse...

Olha lá, ó rapazola...
Eu já não mando nada? Que é isso de acabares com o teu blogue?
Escreve... quando te apetecer. Como diz a Antigona, um vez por mês, uma vez de seis em seis meses, mas escreve!
Bom.... aí de ti se desistes! Olha que as minhas palavras são para ser levadas a sério...

jc