3 de abril de 2008

O meu ex


Já experimentaram ter um PDA? Os mais modernos encerram em si um sem número de funções (embora, lamentavelmente, nenhum limpe o rabo do proprietário, depois deste evacuar). Em Novembro comprei um (terá sido Outubro?).

Resultado: mau. Arrependi-me 20 dias depois da compra, demasiado tarde para a troca, portanto. Desde então tenho andado para aqui a enganar-me, tentado convencer-me de quão prático é um PDA. Tudo mentira (e fique eu ceguinho se não digo agora a verdade).

Pois é para repor a justiça nesta história toda que eu, Senhor de uma pureza devidamente certificada pelo IQF, venho publicamente admitir a péssima compra que constituiu o maldito PDA. De tal forma que hoje, escassos meses volvidos, desisti da tecnologia e fui á Vodafone comprar um telemóvel de gente normal.

O meu HTC funciona na perfeição, mas o toque gay que me conferia, de cada vez que da caneta fazia uso, destruia por completo qualquer tipo de objectivo exibicionista que o seu formato acarreta. "Tão moderno, tem um PDA", pensei eu ouvir, julgando que usaria o dito cujo do coiso para engatar miudas na paragem da Carris.

Hoje voltei a ser homem. Sou dos poucos que foi lá e voltou... com o cu mais largo, sim, mas tão macho quanto antes.

Disse.

2 comentários:

António Raminhos disse...

Usa a canetinha do PDA para palitar os dentes... e isso já te confere o estatuto de macho ligado às novas tecnologias! Olha, tu´que és fã de coisas diferentes passa lá no meu burgo e vê lá aqueles meninos da Nova Zelândia.

AR

www.antonioraminhos.blogspot.com

Orangina disse...

mais valia teres gasto o dinheiro do PDA numa bela prenda de casamento...:)