8 de junho de 2009

A guerra das garrafas

Parece que alguém resolveu avariar a bomba de água que garantia o abastecimento do prédio onde moro. Assim sendo, porque a água aqui não tem muita pressão e os cortes na rede são frequentes, não há como retirar a reserva que fica nos depósitos de 5000 litros que temos. Assim, só muito raramente é que tenho água nas torneiras (e sou um privilegiado: a maior parte das pessoas não tem, sequer, torneiras em casa). Nesses períodos, além de tomar banho, ocupo-me a encher dezenas de garrafas, bacias e baldes, preparando-me para as horas secas seguintes. 
A tarefa não é fácil. Não é.

1 comentário:

Antígona disse...

Bolas! Isso para mim era pesadelo!