4 de novembro de 2009

Update sobre Cabo Verde

Daqui por uma semana, precisamente, estarei na cidade da Praia. Saio de Lisboa dia 10 e chego a Cabo Verde na madrugada de dia 11. É a segunda vez, em duas, que acontece assim. Também viajei de noite para Angola.

Continuo sem casa para morar. Já sei que vou passar os primeiros dias num hotel e talvez - talvez - fique o primeiro mês num apartamento "emprestado", enquanto procuro um poiso mais definitivo e o apetrecho mais importante: uma cama.

Daqui a poucos dias estarei a recomeçar de novo, "novamente". Os começos são sempre bons. Ao menos, quando nos estreamos, ainda não temos desilusões. Vou e não sei quando volto. Mas vou na mesma e esta liberdade, amigos, priceless.

Quando chegar ao arquipélago vou ter 27 anos (faço-os dia 9). Hei-de, então, experimentar trabalhar em mais um país. Contando com Portugal, mais Angola, serão três. É obra, para tão pouco tempo de vida. Cabo Verde é uma aposta pessoal minha. Os ordenados são muito inferiores aos que se praticam em Angola para os expatriados. Por isso, a oportunidade de valorização pessoal e profissional foram determinantes na minha decisão. Quero continuar a crescer como jornalista e, principalmente, enquanto Homem. Quero criar e ter liberdade criativa. Errar, reconhecer o erro e fazer melhor na vez seguinte.

Esta forma itinerante de levar a vida pode parecer uma parvoíce para a maior parte de vocês, mas saber que o mundo não se esgota no caso Freeport, no processo Casa Pia e nas goleadas do Benfica é um exercício ao qual todos se deviam obrigar. É que há tanto mundo por aí...

6 comentários:

andorinhaavoaavoa disse...

Dou-te tanto valor... Sei que vai ser um bom desafio. Vais crescer um pouco mais e enriquecer. Tenho a certeza!

Anónimo disse...

Gostei! Estou ctg na busca da liberdade criativa ...

You know who disse...

Ehr... gostei da cena do continuar a crescer enquanto homem... Tem um... je ne sais quoi...

gralha disse...

Pois há, há muito mundo por aí (ou, pelo menos, recordo-me de assim ser antes de vir para os EUA e ficar restrita à realidade de um Estado). E deve ser muito bom mergulhar assim nele, aos 27 anos e sem nada a prender-te. Que seja uma óptima experiência!

Antígona disse...

Parece que foi ontem que te (vos) vi/ouvi numa certa rádio :):)
Não conheço Angola, mas conheço Cabo Verde e gostei :) apesar da distância que separa "conhecer" porque por lá se passou uns dias e trabalhar e viver por lá... ainda assim parece-me que vais para um lugar pacífico, de gente pacífica e boa :) Desejo-te TODA a SORTE e TODA a FELICIDADE do MUNDO.
Pode ser que ainda te veja no aeroporto, vou ter de passar por lá no dia 10 :):)
Se não te vir, faz uma excelente viagem.
Beijos

Anónimo disse...

Estive em CV há pouco tempo... Ficou-me no coração. Depois de passar por sítios altamente espirituais com budistas e hindus, do melhor que há, achei que dificilmente encontraria povos assim... até chegar a CV...
Morabeza! Tal como Saudade não tem tradução. Sente-se! É o que se sente aí. Sentimo-nos irmãos, da mesma terra, dos mesmos pais!
Ouvem Amália, gostam do Benfica, Sporting ou Porto, acompanham as eleições mesmo quando nós em Lx desligamos de tudo por não ter paciência eles sabem sempre...
Corre-nos o mesmo sangue... E pela primeira vez na vida, senti-me em casa num País que infelizmente não é o meu mas que trouxe no coração.
E o meu coração agora bate mais forte ao som das mornas, do funáná e do ZougLove!
Toda a sorte do mundo para a sua vida aí!