25 de setembro de 2009

23:18

O telefone tocou. Mensagem. A mensagem de um colega e amigo, dentro do avião, prestes a deslocar de Luanda para Lisboa. Dizia assim: "Sei que tentaram boicotar o teu trabalho e tu deste a volta por cima. Acho que és um excelente profissional". Não vale a pena, sinceramente, explicar o contexto em que ela surge, mas surgiu na altura certa, no final de três dias muito complicados, em que precisei de apelar tanto à minha escassa autoridade, como à destreza na retórica. Ao lê-la, pensei qualquer coisa como - o inglês compromete menos - my job is done e respirei de alívio.

Quando aceitei vir para Angola, não fazia ideia do que a estadia me reservaria. Sei - e acaba aqui o que percebo - que em nenhum dos meus planos imaginei qualquer coisa de parecido àquilo que experimentei ao longo deste ano e mais algum. Para dizer a verdade, o inexplicável e o inenarrável são as únicas certezas com que a vida em Luanda pode contar.

Descobri o que custa estar longe de casa, senti saudades do cheiro da minha terra e aprendi a dar valor ao que é “nosso”. E foi bom sentir tudo isso.

Fiz coisas que nunca tinha feito. Gostei de algumas e detestei outras. Mas fiz. Fiz tudo o que sabia – mais o que aprendi a - fazer e é por isso que me vou embora.

Deixo a televisão e volto às palavras escritas e impressas. Só não devo é voltar para casa. A itinerância continua já a seguir, numa outra paragem.

5 comentários:

Sereia disse...

Que bom, palavras! :)
Good luck em inglês para dar mais sorte!

andorinhaavoaavoa disse...

Já sabia que eras um profissional de mão cheia e fico muito contente por saíres com a tarefa cumprida!
Mostraste a tudo e a todos o que vales!

Cris disse...

E como começos são sempre começos, obviamente a decisão foi certa. Eu, como sempre, apoio. E lá estarei perto de ti, noutro lado. Em breve, quiçá?

Antígona disse...

E vais para onde?!

gralha disse...

Espero que corra tudo bem nesta nova fase! Parece-me que já tiveste a tua dose de experimentalismos tão duros. Ficamos à espera de novidades.